quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

*ROMPIMENTO DE REPRESA NO CAULIM PODE PROVOCAR ACIDENTE DE GRANDES PROPORÇÕES.


 

Filmagem realizada na tarde do dia 01 de fevereiro de 2012.
Na tentativa de encontrar uma forma de conter a grande quantidade de lama e areia que descem com as águas das chuvas vindas da antiga área de extração de caulim onde a prefeitura de Bicas pretende construir casas populares, fato que tem provocado inúmeros problemas aos moradores das imediações, a administração pública de Bicas resolveu criar uma grande represa num dos pontos mais altos do referido loteamento, usando como barreira de contenção dos detritos, a própria terra arenosa do terreno. Essa represa coloca em risco um grande número de moradias, comércios e indústria caso aconteça um rompimento da contenção de areia, dado ao grande volume de água e lama de areia que descerá morro abaixo. O terreno arenoso faz com que o volume d'água contido na represa baixe mais rápido, já que ela penetra no solo mais facilmente, fato que agrava toda a situação, pois deixa o subsolo totalmente úmido favorecendo o deslocamento do mesmo.
Preocupado com a possibilidade real de um acidente de grandes proporções caso haja o rompimento da contenção destas águas, protocolei junto à secretaria de obras da prefeitura no dia 02 de fevereiro, ofício pedindo que se busque outra solução para o problema eliminando esta represa, aproveitando que a mesma encontra-se com um volume de água que permite seu bombeamento e esvaziamento sem maiores problemas. Abaixo, cópia do ofício enviado à Secretaria de Obras:



Ofício n° 01/2012.
Pedido de Providências
Ao Secretário de Obras Públicas, responsável pela Defesa Civil do Município de Bicas:
Sr. Luiz Fernando Passos de Souza.

Venho através deste, trazer um pedido de providências à Secretaria de Obras da Prefeitura Municipal de Bicas relativo ao gravíssimo problema da criação de uma grande represa num dos pontos mais altos do local onde a prefeitura de Bicas pretende construir casas populares. A retenção das águas e de grande quantidade de areia na represa construída pela prefeitura municipal pode vira a se romper na ocorrência de fortes chuvas, já que sua contenção foi feita com o próprio material do local, ou seja, areia, material extremamente volúvel à pressão das águas. Já é possível perceber rachaduras na contenção que demonstram claramente seu deslocamento, além da existência de grande erosão logo abaixo da mesma. Ressalto que as conseqüências de um possível rompimento serão gravíssimas aos moradores das imediações.
Pude perceber que, aparentemente, o objetivo foi o de conter a grande quantidade de lama de areia que descem com as águas vindas da antiga área de extração de caulim, mas a solução apresentada traz grandes temores a todos os moradores, comerciantes e industriais das imediações; Av. Governador Valadares, Rua Dona Miquelina, Rua Quinze e outros.   
Por isso, peço providências ao secretário de obras públicas, que também é o responsável pela Defesa Civil Municipal e insisto numa rápida ação da prefeitura eliminando o risco eminente pedindo o fim da referida represa, buscando uma solução viável para o problema sem colocar a segurança dos moradores da região em risco.
Atenciosamente,
Amarildo Mayrink.

.
Filmagem e fotos: Amarildo Mayrink 
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...