segunda-feira, 16 de abril de 2012

* SIMPLESMENTE "DOUSSEAU".


Na Semana Santa, tive o imenso prazer de sempre ao receber minha Mãe Lidia e minha Irmã Marly em minha casa. Seriam quatro dias de grandes emoções, pois vinha ao mundo o mais novo “filho” da família Dousseau, que seria apresentado, compartilhado, doado e, o mais importante, veio com o dom de resgatar uma História, muitas Histórias... Era como levar a “boa nova”, reavivar e reviver momentos que antes estavam escondidos na memória fria dos cartórios ou em algumas memórias quentinhas, vivas mesmo, daqueles que pareciam aguardar a oportunidade de poder compartilhar segredos e alegrias com todos nós. Foi a busca pela revelação da História proporcionando grandes e belos encontros.
O mais novo “filho” da Família Dousseau nasceu da persistência, do desejo de realizar um grande sonho que brotou de repente e se transformou num dos mais belos sonhos, tornando-se finalmente uma maravilhosa realidade. Este "filho" chama-se “DOUSSEAU: ENTER. Franceses no Império do Café”, livro de autoria de minha querida irmã Marly (Dousseau) Mayrink.
Foram quatro dias levando a “boa nova” aos Dousseau que aqui permanecem dando continuidade a uma verdadeira saga que foi a História desta Família, que veio com tantas outras Famílias da França lá pelos idos de 1885. 
É estranho imaginar que se aquele grupo de corajosos imigrantes não tivesse abandonado tudo e partido para uma grande “aventura”, eu não estaria aqui hoje escrevendo estas linhas.
Por que isto agora? É que a História tem o dom de despertar sentimentos aparentemente "tolos" para muitos (é como são interpretados nos dias de hoje sentimentos nobres como o de pertencer a uma família, ter uma História).
Faço parte desta História, que ao invés de ser perdida para sempre, foi resgatada com este maravilhoso trabalho.
Como também se trata da História de inúmeras Famílias francesas e sendo o Brasil um País construído por inúmeros imigrantes que vieram em busca de um mesmo sonho, recomendo a todos a leitura deste livro, que já foi semeado nas bibliotecas públicas da região.
E a história continua, agora nas páginas da internet, através do blog familiadousseau.blogspot.com onde minha irmã e autora Marly aguarda a todos com novas notícias, comentários e, quem sabe, novas e valiosas informações desta História que está longe de ter fim.
.
Lidia, Marly, Fátima, Almira e Tiana nos Machados.
Édson/Maninho (filho de Francisca Guilhermina Dousseau da Costa/Nini), em seu Sítio das Araras, nos Machados.
Fatinha (filha de Luzia Dousseau Filgueiras) e seu esposo Gaspar Rocha com Marly.
Marly com José Dousseau Guilhermino Ruellas e família em Maripá de Minas.
Minha Mãe Lydia e Maisa recebendo um exemplar de minha Irmã Marly.
José Carlos Barroso, de São João Nepomuceno. Contribuição importante para este resgate histórico.
Tio Sebastião Martins, que ajudou Marly a encontrar as ruínas da Fazenda onde tudo começou.
Tia Stela Mayrink Soares.

 Doação à Biblioteca Municipal de Bicas.

Em Carlos Alves, Distrito de São João Nepomuceno, o livro foi recebido pela Diretora da escola local, Josileia Oliveira Diolindo.
Doação à Biblioteca Municipal de Rochedo de Minas.
Doação à Biblioteca Municipal de Guarará.
Doação à Biblioteca Municipal de Argirita.
Doação à Bilbioteca Municipal de Maripá de Minas.
Em vôo as borboletas são como livros abertos, levando a beleza de uma História a todo o mundo. E elas sempre cruzam meu caminho (foto nos Machados).
 .

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Muito, muito obrigada, Amarildo, por me ajudar a "distribuir borboletas". Que elas sejam bem vindas e contribuam para divulgar um pouquinho de nossa história, derrubando mais algumas barreiras de nossa Zona da Mata ainda tão intransponíveis às vezes...
    Muito obrigada mesmo!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...